17 de junho de 2011

Paris street-style e junho 2011... Champs Élysées...




 Se tem uma coisa que pode ser divertida em fazer fotos no meio do povo é lidar com a reação de quem percebe que ali no meio daquela imensa multidão que circula na avenida Champs ( se pronuncia Chamssss e nunca Champis!!!!) Élysées tem uma espiã de moda. Me sinto a mulher-invisível, até o momento em que sou flagrada por alguma figura bem-humorada para me detectar e dar um sorriso lindo. Quase sempre é assim, raras as vezes alguém foi brusco comigo nessas minhas andanças. Acho moda em todos os cantos, em todos os detalhes... Se o rosa vai pipocar nas coleções de 2012 é por ter uma conexão com a realidade das ruas...Podes crer...
  Falando em detalhes ou continuando a falar deles, apenas agora à noite, quando baixei as fotos, é que vi o anel lindo que ele portava no dedo mindinho. Não foi a jóia que me chamou atenção no rapaz, foi ele como um todo, mas foi ela que roubou a foto. Peça-chave. Bom de pensar em ter um anel assim. Desejo.

  Falando em detalhes ou continuando a falar deles, apenas agora à noite, quando baixei as fotos, é que vi o anel lindo que ele portava no dedo mindinho. Não foi a jóia que me chamou atenção no rapaz, foi ele como um todo, mas foi ela que roubou a foto. Peça-chave. Bom de pensar em ter um anel assim. Desejo.
 E qual não foi a minha surpresa ao ver o militarismo ainda vivo e belo pelas ruas? Pode??? Sim. Deve. 

Ray-ban aviador e Wayfarer então é coisa de sempre. A gente usa nude e usa bolsa de palha. Ninguém é obrigada a usar tudo de grife, até porque cansa e muito o uniforme. Legal é a liberdade da mistura. Do saber carregar, independente do que seja e que marca tenha. 
É como falar em bichos, são sempre usados, apenas que uns têm mais ascensão que os outros, mas nunca eliminados do uso em geral. Agora é cobra, mas as onças continuam a ronronar.
A Europa está em crise e ninguém ignora e tampouco perde o estilo. Cada um faz sua moda do que jeito que quer e pode. Sempre foi assim. 

A experiência de voltar às ruas hoje, depois de um tempo viajando, me trouxe um friozinho na barriga. Aquele que a gente tem quando sente algo novo no ar. Certo que a moda se repete, mas as pessoas não. O movimento é em torno de uma nova  utilização das coisas e essa forma é que fascina e inspira...
          

Não importa para que lado eu olhe ou por que rua eu ande, sempre sinto que se busca uma nova identidade. Algo que divirta e seja leve, algo que faça a gente ser único, independente de mundializações...

Voltam as jaquetinhas curtas de couro sim, isso é uma consequencia da necessidade de termos peças que renovem um pouco nossa maneira de nos relacionarmos com a roupa. Por isso voltam também os casacos mais acinturados (vi muitos hoje!!!), para combater aquela onda boy-friend que durou bastante e chegou a nos cansar.


Este texto eu tirei de um dos posts do blog da Ana Clara Garmendia, sempre são assim gostosos de ler, com fotos lindas (tanto as das ruas quando as dos desfiles)  e sem aquela moda rígida e ditadora.  Suuuuper indico e tenho ela com Guru! 




2 comentários:

Florzinha* disse...

Ai que tudooo, deve ser muito legal fotografar pessoas de outros países, o bom é que ninguém te conhece a principio bjos
psempremulher.blogspot.com

Beleza disse...

Oie...vim retribuir o recadinho no clube da maquiagem...lindo seu blog...já estou seguindo.
Adorei as fotos do blog e vi em algumas o pessoal com jaquetas...a jaqueta é uma peça sempre bem vinda, afinal da pra colocar quando não esta muito frio ou quando o frio aperta com uma blusa mais grossa por baixo...eu adoro.

Visite tb o http://beleza-propria.blogspot.com, que esta começandooo sua vida na internet, hehehe. bjuss. (Fernanda )

Postar um comentário

Follow by Email

Momento no Face !